20 coisas que só mãe de menino entende

Meus pequenos me tornaram uma legítima mãe de (dois) meninos. E este universo, que me enlaçou de forma tão radical, agitada e amorosa, me ensina, me desafia e me mostra que ser mãe de menino é:

  1. Conhecer os super-heróis, os seus poderes, as suas roupas, como nunca imaginei. Já fui mamãe Flash, mamãe Maravilha, mamãe Aranha, e reconheço que ainda troco nomes, poderes e por aí vai.
  2. Descobrir que a maior utilidade do gelo é abaixar galos, sobretudo os da cabeça.
  3. Começar a se interessar (este foi meu caso) por futebol e, inclusive, jogar com eles. Correr, correr e correr atrás da bola. Ser goleira, atacante e torcedora ao mesmo tempo.
  4. Cair na real que, de fato, as brincadeiras dos meninos são mais brutas e que isso faz parte da natureza deles. Nada é muito leve… os toques, os empurrões, e qualquer movimento que, num toque de mágica, se transforma em golpes de luta.
  5. Ser surpreendida com a capacidade deles de transformar qualquer coisa em arma ou espada: rolo de papel toalha, pecinhas de Lego, pedaço de pau, uma caneta ou, se nada estiver ao alcance, a própria mão.
  6. Ter que lidar com a “caixa do vazio” masculina desde sempre. Afinal, não é assim com nossos maridos?
  7. Controlar o coração que vem à boca nas idas ao parquinho. É aventura demais!
  8. Viver em meio a tanto agito, pulos, corre corre, cambalhotas, e novas aventuras criadas a partir do inimaginável.
  9. De tanto explicar, parar de justificar ao mundo que você ama ser mãe de menino e que não precisa ter uma menina para, finalmente, ser uma mãe completa.
  10. Ouvir “mamãe, eu te amo” e se derreter de amor, ainda mais.
  11. Se encantar com a seção de roupas de meninos e ter a certeza de que é possível vesti-los com muito estilo e charme, mesmo sem os frufrus das meninas.
  12. Aprender os nomes dos mais variados carros que, por ventura, possam parar ao lado do seu no farol. A qualquer momento a pergunta: “mamãe, qual o nome deste carro?” pode surgir.
  13. Entrar nas histórias imaginárias de lobos, vilões, monstros, super-heróis e dinossauros.
  14. Ouvir “mamãe, você está linda” mesmo quando você quer fugir do espelho.
  15. Descobrir que o azul é uma cor tão linda e fascinante quanto o rosa.
  16. Ser coberta de carinho e beijinho após se contorcer de dor por ter batido o dedinho do pé na coluna da mesa.
  17.  Aprender a lidar com os ciúmes dos pequenos pela mamãe desde cedo. Eles são um grude com a gente! E isso é bom demais!!
  18. Perceber que eles são mais simples e objetivos, desde a hora de se vestir até aquele desentendimento com os amigos numa brincadeira. Tudo se resolve rápido e a brincadeira retorna antes mesmo da mãe entender o que aconteceu.
  19. Ter um companheiro, admirador e defensor para todas as horas.
  20. E, por fim, assumir o compromisso de educar um menino para se tornar um homem forte, com caráter, valores e princípios bem alicerçados. Um homem gentil e afetivo, que saberá tratar uma mulher com o amor e o respeito que ela merece; um homem forte e sensível, que demonstrará em suas lágrimas sentimento, e não fraqueza; um homem que divide as tarefas domésticas considerando que esse é um ganho para toda a família; um homem que assume a função de pai com a autoridade e o amor necessários para a criação de seus filhos, e não como mero coadjuvante.

By @anappiedade

One comment

Deixe um comentário