Dia dos Avós com doçura e amor

Há aqueles que alimentam tão profundamente o desejo de serem avós um dia que, quando os netinhos chegam, suas vidas transbordam atenção, carinho e tanto amor àquele serzinho tão aguardado, que a fase mais madura de suas vidas ganha um novo significado.

Há aqueles que acompanham e curtem a vida dos netos como jamais fizeram com seus próprios filhos. O tempo lá atrás consumido pelo trabalho enquanto os filhos cresciam ganha um sentido diferente, e este novo tempo prazerosamente passa a ser dividido entre histórias, sorvetes, passeios, ensinamentos e muitas gargalhadas.

Há aqueles que criam, tomam para si a responsabilidade pela educação dos netos. E com a doçura adquirida pelos cabelos brancos, dão o amor e o carinho dignos de avôs, mas também dão a escola, a comida, o consolo e o colo acolhedor na hora do dodói, a bronca na hora necessária, os ensinamentos da vida… o bom dia, o obrigado, o por favor.

Há aqueles que se assustam com a notícia da chegada do neto. Não por não desejarem, mas por se sentirem despreparados para assumir o papel. Mas o tempo, ah… o tempo. Assim como, ao nascer uma criança, nascem um pai e uma mãe, nascem também os avós. E a vida se encarrega de preparar, cativar, aproximar, e construir laços de um amor leve, divertido e por vezes mais prazeroso e do que a própria relação que eles tiveram com seus filhos.

Há aqueles que criam as melhores memórias nos corações de seus netos, com histórias e experiências inesquecíveis e recheadas de prazer e emoção.

Há aqueles que se tornam os melhores professores de culinária, marcenaria, jardinagem que seus netos poderiam ter.

Há aqueles que rejeitam a mais remota possibilidade de terem netos. Receiam o despreparo dos filhos, a falta de uma estrutura familiar ou de condições financeiras. Mas aí chega a notícia, e nove meses depois, nasce aquele que muda a rota, o rumo e enche o coração de esperança desses avós que se vêem diante de novas possibilidades de existências até para si próprios.

Há aqueles que deixam a urgência de lado e vivem o tempo de seus netos, sem relógio, sem pressa.

Há aqueles que se tornam os maiores amigos de seus netos e os ensinam o sentido da vida com cabelos brancos, mãos envelhecidas e muita experiência de vida.

Há aqueles que são presenteados, ano a ano, pelos convites vips das festinhas da escola, dos campeonatos de futebol ou das apresentações de balé. E cheios de orgulho, com largos sorrisos e olhos marejados comparecem a todos os eventos com a câmera do celular pronta para os cliques.

Há aqueles que se tornam os melhores apoios emocionais e o colo necessário diante uma situação de conflito ou até de separação entre os pais.

Há aqueles que descobrem o amor incondicional livre da cobrança, da culpa e da responsabilidade pela educação. Deixam esta parte para os seus filhos e curtem a relação com seus netos baseada na mais leal cumplicidade.

Há aqueles que chegam sempre com um sorriso amoroso, braços abertos, bolsos cheios de doces e bochechas prontas para beijos babados e sinceros.

Há aqueles que doam seus ouvidos e atenção para ouvir as histórias mais engraçadas e desconectas. Sobre o amiguinho, o brinquedo, a professora ou aquele pesadelo do meio da noite.

Há aqueles que voltam a se exercitar fisicamente ao balançar as pernas, incontáveis vezes, enquanto os netos brincam de cavalinho.

Há aqueles que encontram um companheiro inseparável para as suas maiores aventuras: a ida ao supermercado, o conserto da bicicleta ou a tentativa de capturar o maior peixe no silêncio da pescaria.

Há aqueles que conseguem a façanha de desviar os pequenos olhinhos das telas do celular, televisão e videogame e entreter seus netos em atividades criativas e animadas ao ar livre, com pé no chão e direito a arranhões no joelho, trazendo à tona os bons e velhos sabores da infância.

Há aqueles que recordam a infância de seus filhos refazendo bolinhos de chuva, biscoitos com formatos de bichinhos e bolos com cobertura de chocolate.

Há aqueles que passam a viver como nunca haviam experimentado. Na alegre e divertida companhia dos netos percebem o real sentido da vida…  na simplicidade de uma brincadeira, num olhar afetuoso, numa travessura qualquer, no abraço caloroso e nas gargalhadas sem motivo aparente.

E certamente, todos estes avós transmitem e deixam gravados na memória e no coração de seus netos o que há de mais precioso: o genuíno legado de amor, cuidado, afeto, dedicação e cumplicidade.

By @anappiedade

Deixe um comentário