Vamos trocar o Halloween pelo Dia de Ação de Graças?

Criança com rosto pintado de vampiro, bruxinhas, abóboras, caldeirões, caveiras decoradas, morcegos, zumbis estilizados, demônios e fantasmas tudo isso se caracteriza pela festa de Halloween, também conhecida como Dia das Bruxas, comemorado dia 31 de outubro. Essa onda está invadindo nosso contexto brasileiro, mas temos uma proposta neste post, vamos trocar o Halloween por um coração grato? Que tal o Dia de Ação de Graças ?

Particularmente nunca me simpatizei com a comemoração, mas agora como mãe, e até porque as decorações da festa e as crianças pedindo doces na nossa porta começaram a despertar a atenção do meu pequeno primogênito, achei que devesse conhecer mais sobre a festividade e assumir uma postura. E essa hora chegou.

As influências chegam de todos os lados: desenhos infantis na televisão, amigos da escola empolgados com as fantasias e com os doces que irão ganhar, decorações sendo organizadas no prédio onde moramos, enfim. E, como meu menino é um questionador nato, a mamãe aqui precisou ir atrás de informações para justificar os porquês.

E olha, posso dizer que minha pesquisa apenas reafirmou minha posição a respeito. De forma bem resumida: o Halloween começou há mais de 2500 anos com as antigas celebrações dos povos Celtas, que costumavam cultuar os espíritos de seus mortos. Eles acreditavam que no dia 31 de outubro todos os fantasmas,

demônios e almas penadas saiam a noite para assombrar e amaldiçoar os seres humanos, dia em que celebravam o começo da escuridão, início do inverno. Como os demônios eram muito raivosos e podiam matar qualquer um, os sacerdotes iam às casas pedir comida, mas quando alguém se recusava a dar, eles jogavam maldições e uma pessoa da casa estava condenada à morte.

O fato é que a celebração norte-americana, assim como tantas outras coisas, foi integrada à nossa cultura sob o aspecto da diversão, festividade e virou uma atração comercial e midiática. As fantasias assustadoras e os pedidos de guloseimas de porta em porta  foram incorporadas e nossas crianças envolvidas de forma aparentemente inofensiva.

Mas porque aderir a uma comemoração que não está de acordo com meus princípios? Pensei.

Acredito que muitos pais liberam a participação dos seus filhos sem ao menos saber o que estão comemorando. Outros sabem, mas não vêem mal nisso. No meu caso, preferi assumir uma postura contrária à festa, mas seguindo os valores da nossa família.

Sinceramente não acredito que uma criança fantasiada de fantasma irá atrair maldições e tal, não é isso. Mas a questão são os motivos que levam à comemoração. Como nenhum deles segue nossos princípios, resolvemos não aderir. E não considero esta uma postura radical, mas apenas de acordo com o que acreditamos e vivemos. Motivos para comemorar não nos faltam, aliás, gostamos muito de festejar, mas optamos por celebrar a vida, a família e as bênçãos recebidas de Deus.

Há poucos dias, recebi um vídeo muito bacana e que, inclusive, me estimulou a escrever este post. É o vídeo da Cassi Pedagoga e Psicopedagoga, conhecida como @mamaeeducadora. No vídeo, que viralizou na rede, Cassi comenta de um colégio em São Paulo que resolveu trocar o Halloween pelo Dia de Ação de Graças (comemorado dia 23 de novembro), e lança o desafio aos pais de fazer o mesmo. Ela fala ainda que o Halloween não é uma comemoração que contribua para o crescimento emocionalmente saudável da criança, uma vez que não exalta vida, felicidade, gratidão, amor, família, mas brincadeiras relacionadas à morte, caveiras e magias, sendo que tudo isso não é insignificante porque as crianças aprendem brincando e é por meio das brincadeiras que elas internalizam conceitos que são importantes.

Pronto! Obrigada @mamaeeducadora pelo incentivo. Aqui vamos aderir a esse movimento e, pela primeira vez, celebraremos o Dia de Ação de Graças. Vamos preparar a nossa festa de gratidão a Deus e faremos deste momento uma oportunidade para, em família, termos um bom tempo juntos. Faremos comidinhas gostosas, vamos organizar brincadeiras legais e teremos um momento para agradecermos tudo o que o Deus tem nos presenteado.

Nos EUA, o Dia de Ação de Graças é feriado nacional e, independente de religião, as pessoas costumam se reunir com a família e amigos para fazer orações e agradecer por todas as conquistas.

Então, porque não celebrarmos a vida e ensinarmos os nossos filhos o valor da gratidão? Vamos juntos? Vamos trocar o Halloween pelo Dia de Ação de Graças ?

Por @anappiedade

One comment

  1. Tiara Alves says:

    Eu amei esse post, pois afinal o mundo ja esta cheio de tragedias, para q de uma certa forma hoje seria uma comemoraçao a isso. Temos q mostrar valores cristaos aos nossos filhos, para que cresçam cidadoes preocupados com o futuro dos filhos deles. Q seja um dia de açao de graça pelas nossas vidas e pela a vida dos nossos filhos, sobrinhos, primos e etc…

Deixe um comentário