Precisamos recuperar a generosidade básica da vida

O 1º Eduque – Meu filho, meu legado – realizado no último sábado (01/10), foi uma oportunidade incrível de aprender ou mesmo relembrar, como pais e educadores, o papel da educação e o impacto das nossas ações sobre a vida das crianças. Mais de 450 pessoas estiveram presentes no evento e puderam ouvir as experiências compartilhadas por cada um dos palestrantes e o rico conteúdo apresentado por eles. E nós do blog Criando Meninos estávamos lá para conferir!
O tema da primeira palestra foi “Costume de casa se leva à praça: o papel da família na prevenção contra a violência social”, com a psicóloga e terapeuta familiar Fátima Fontes. Para ela, o cotidiano está repleto de crueldades e insensibilidades que tem afetado diretamente as crianças. “Andamos com fone de ouvido para não ouvir ninguém, torpedeamos para não perdermos tempo com as pessoas”
Fátima disse também que não somente as crianças, mas os próprios adultos hoje não têm mais aquela generosidade básica de dizer: bom dia, por favor, desculpe, com licença, pelo contrário, as pessoas têm se demonstrado cada vez mais agressivas quando se deparam com a frustração, e têm se mostrado rígidas e hostis com os que pensam, sentem ou agem diferente delas.
Para a psicóloga, as famílias devem aprender a não promover as violências sociais e, para isto, devem agir de acordo e ensinar seus filhos a “acolher” a humanidade, uma vez que somos imperfeitos e podemos aprender com nossos erros. Recuperar a bondade perdida e o amor no relacionamento entre as pessoas também é preciso, “estamos obesos de queixas e ressentimentos e emagrecidos de ternura e calor”, conclui.
E nós temos percebido o quando o “bom dia” no grupo da família virou chacota, algumas pessoas até evitam entrar cedo no grupo só porque aquela “tia” vai mandar uma imagem brilhante com um ursinho jogando beijinho e dando bom dia. Ou seja, entra no grupo apenas para não parecer anti-social, mas na verdade a primeira ação é torná-lo silencioso e fica torcendo para não encher o celular com fotos descartáveis.
É nas redes sociais onde damos as famosas: “curtidas sociais” para manter a amizade, mas que na verdade, nem lemos o texto, ou apreciamos a foto. Uma mera formalidade !
Deve começar em nós

Isso tudo pode ser um gancho para uma conversa com os pequenos de como é importante ver o outro como um ser humano – não apenas um “SERUMANINHO” como estão dizendo até para se referir aos seres de 4 patas. As crianças precisam aprender a ter empatia com o outro, se alegrar com a felicidade do outro e se compadecer com sua tristeza, mas isso ele aprende nos vendo agir dessa forma. É importante pensar em recuperar a generosidade que nossas avós nos ensinaram, as básicas e que nos mantinham aquecidos socialmente !!


postfatimafontes2

 

Deixe um comentário